6 Razoes pelas quais troquei para o sistema Fuji / by Ruben Mália

_DSF0074.jpg

No início do ano tomei a decisão de vender o meu material da Canon (5d Mk3) e fazer a transição para o sistema da Fuji com a aquisição de uma X-Pro2. Algumas pessoas têm-me perguntado quais foram os motivos que me levaram a tomar esta decisão, razão essa pela qual decidi escrever este post.

1 – Peso e dimensão
Em termos comparativos, o corpo da canon 5d mk3 pesa 950g Vs 495g da Xpro 2 já com bateria e isto sem falar no peso das objectivas da serie L da Canon Vs Fuji.

2 – Proximidade
A redução do tamanho da câmera e objectiva veio facilitar em muito a proximidade junto das pessoas que retrato. Uma câmera mais pequena é menos intrusiva, mais discreta e graças ao reduzido barulho do obturador (que mais parece um zumbido de uma abelha) tenho conseguido trabalhar com mais liberdade sem ter de enfiar o "monstro" que é a 5D nos rostos das pessoas.

3 – Limpeza e Fungos
Apesar de a Canon continuamente argumentar que as objectivas serie L e os corpos são estanques ao pó e a salpicos de água, a minha experiência com a marca não foi a mais positiva. Já mudei de sensor na 5D Mk1 2 vezes e as objectivas até ao inicio do ano estavam constantemente com poeiras ou fungos.
A minha 17-40mm tinha ainda o acréscimo de estar montada de fábrica de maneira que não permite a limpeza dos elementos do meio da objectiva, muito devido a uma cola especial usada pela marca que faz com que nenhum técnico se atreva a desmontar para limpar.

Embora tenha a objectiva da Fuji ( 23mm WR F/2 ) a menos de 1 ano, o problema de fungos ou poeiras não se manifestou.

4 – Rangefinder
Na minha rotina diária de fotografia de rua, uso 90% do tempo uma rangefinder, por isso seria de esperar que na altura de transitar no sistema digital que fosse procurar opções que me permitissem ter uma sem ter de deixar um rim no balcão da loja da Leica. O uso da rangefinder é apenas uma predilecção técnica minha devido aos meus hábitos diários, para os interessados num formato dslr normal a X-T2 é uma óptima alternativa.

5 – Cor
Um dos maiores impactos ao transitar para a Fuji que senti foi na incrível qualidade de cor que os ficheiros me estão a devolver. Esta câmera conseguiu voltar a fazer-me ver a fotografia a cores com outros olhos e com um novo entusiasmo. Embora exista algumas reclamações por parte de alguns utilizadores devido as tonalidades azuis que se fazem sentir nas imagens. A fuji já se comprometeu a resolver esse problema na próxima actualização de firmware (que nos leva ao ultimo ponto)

6 – Kaisen
Kaisen é definido como uma filosofia de desenvolvimento continuo. Este é um dos motivos que tem levado ao crescimento da marca e do apelo a muitos profissionais. Esta filosofia, leva a que a marca esteja atenta ao feedback dos fotógrafos (directo ou indirecto em fóruns ), e trabalha para conseguir melhorar os aspectos que eles sentem que precisam ser melhorados. Um dos exemplos mais recentes, será a implementação de video 4k na x-pro2 (actualização de firmware em Dezembro 2017) que surge com o apelo dos muitos utilizadores do modelo que se sentiram esquecidos após a saída da X-T2 que já trazia essa opção de fábrica.

A X-Pro 2 conseguiu-me abrir novas portas em termos fotográficos e trazer uma lufada de ar fresco ao meu entusiasmo fotográfico. Espero que este post seja de ajuda para alguém que esteja considerar fazer a mesma transição.